terça-feira, 13 de maio de 2014

Professor e professora, desapeguem-se da sala de aula


    Embora recebam orientações em sua formação, em capacitações e reuniões pedagógicas para que sejam realizadas atividades fora da sala de aula com certa regularidade, muitos professores e professoras descumprem estas, o que indica a não compreensão da importância deste simples ato, o qual pode promover uma enorme gama de oportunidades e benefícios para novas aprendizagens, bem como bem estar físico, social e emocional, tanto às crianças quanto aos professores e professoras.
    O ensino não deve jamais estar condensado em aplicação somente na sala de aula, com saídas apenas para intervalos, aulas de educação física, aula de informática e outros que já fazem parte da rotina curricular da escola. A sala de aula não é, e jamais poderá vir a ser um espaço de confinamento humano, deve antes de mais nada, ser um espaço de aprendizagem e prazer em aprender; educa-se para a vida, para o mundo em sociedade, para a liberdade, e explorar outros espaços da escola favorecem essa educação para o viver neste mundo complexo e pouco rotineiro, ao mesmo tempo que instala novas rotinas, conhecimentos e habilidades, bem como desperta para condições de se comportarem bem em diferentes ambientes, aos quais estarão , mais ambientalizados à medida que os experienciam.
    Contar uma história sob a sombra de uma árvore, usar a biblioteca, a quadra, o refeitório, tanto para jogos e brincadeiras quanto para atividades de alfabetização, bem como atividades diferenciadas como artes, teatro, pintura, música, artesanato, seria o ideal para a formação lúdica nas escolas atuais e futuras, onde a resposta das crianças com certeza seria de alegria e respeito.
    Se as crianças passam a conhecer bem os espaços que constituem a escola se habituando aos mesmos, isto torna-se comum a elas, que compreendendo as regras e sanções da escola terão maior respeito às pessoas e atividades propostas nestes espaços, bem como em outros espaços públicos ou privados fora dos muros da escola, para os quais estamos (família e escola) educando.
    A sala de aula, bem como a escola não devem estar alheias ao mundo, pois são parte da extensão que este representa, e não pode estar fragmentado deste todo. Não somos pássaros, bem como escolas não são gaiolas, mas ambos homem e mulher bem como os pássaros anseiam a liberdade, a qual inicia-se na escola, ou assim deveria ser.

Pedagogo, escritor e poeta Adalmir Oliveira Campos 
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário