segunda-feira, 21 de abril de 2014

Contribuímos para a corrupção?


Li uma frase forte hoje em um livro e fiquei a imaginar o quanto ela tem de verdade ou inverdade, era mais ou menos assim "cidadãos corruptos criam governantes corruptos".

Embora acredite que somos responsáveis por nossas escolhas, e isso se refere também às nossas entregas ou não à corrupção, penso ser verdadeira esta máxima, pois sofremos as mais diversas influências desde a mais tenra idade, na educação que começa no lar, tem continuidade na escola e se completa na universidades ou nas ruas.

O que é a corrupção a não ser beneficiar-se a se próprio em usufruto de algo que não lhe pertença, subtraindo do outro o que lhe é de direito, contrariando a justiça, e o que é previsto na Constituição ou nos códigos de ética e moral dos grupos e contextos sociais em que está inserido?

A corrupção começa bem cedo, já relatei isto em outros textos, e se expande quando encontra terreno fértil.
São nas pequenas corrupções que surgem as grandes.
São nos pequenos pecadinhos que surgem os grandes pecadões.
São nos pequenos roubos e assaltos que surgem os grandes roubos e assaltos.
Bem como nas mentiras, nas inverdades, nas farsas, nos discursos falseados que vemos todos os dias, os quais se intensificam nas épocas de política.

Uma birra que chega ao ponto de perca de fôlego é um tipo de chantagem infantil na busca do alvo pretendido, se mal trabalhada pode abrir espaço a futuras "chantagens" que por sinal serão cada vez maiores, à medida que aumentam os interesses das crianças, jovens e adultos.

Sufocar as crianças de mimos, dando-lhes tudo que querem e no tempo que querem, as levam a crescerem pensando que tudo lhes está à disposição, sem que para isto precisem se esforçar e pode ser um mal na educação das crianças, que muitas vezes não passam a serem agradecidas pelo que vem de forma gratuita, bem como aos cuidados aos bens públicos que lhes vem da paga de seus impostos e para atender a todos sem distinção. (embora muitos, eu sei que vão descordar de mim)

Mentiras por mais pequenas que sejam, diante das crianças, as quais conhecem a verdade, as levam a banalizarem tais atos e assim a usarem dos mesmos artifícios em fases posteriores de sua vida.

Os exemplos ensinam mais do que os discursos e palavras.
E quanto mais cedo se fizerem as correções melhor, pois depois que as crianças tiverem formadas sua identidade de base, fica difícil as correções, embora não seja impossível.

Venda de votos por favores político, por si só é um grande ato de corrupção, e não dá para confiar em nenhuma das duas partes que participam destas barganhas, tão comuns, principalmente nos pequenos centros, onde ainda imperam os coronelismos políticos.

Sonegar impostos, não pagar o que é devido, superfaturar nas vendas no comércio, etc. são atos de corrupção que vão se estendendo do povo à classe de representantes políticos, e deve ser combatida, na busca da instalação da ordem, progresso e respeito às grandes massas.

Não buscar soluções para a corrupção também é corroborar com a mesma, visto que quem cala consente, e todos perdem com isso, principalmente os mais desprovidos e indefesos, que infelizmente, são a maioria pobres, às vezes alienada, descrentes e infelizes, embora as mídias incentivadas pelas atuais políticas contradizem este cenário, por detrás das cortinas e encobertos pelas maquiagens e vestimentas fantasiosas por de frente das câmeras.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Frase retirada do livro: Médico de Homens e de almas, de Taylor Caldwell, Rio de Janeiro, Editora Record, 41° ed. 2007



Nenhum comentário:

Postar um comentário