quinta-feira, 17 de abril de 2014

Lincoln


Assisti o Filme Lincoln.

Achei o mesmo fantástico, embora um pouco erudito.
Recomendo aos políticos e não políticos, mas que vivem,
querendo ou não como seres políticos, a assistirem.

Verdadeiro retrato de compaixão, sabedoria e preocupação
não somente pessoal, mas pela coletividade e libertação do
humano na busca na igualdade por direitos enquanto humanos
diante da lei/ constituição.

Ao ver o filme fiquei imaginando a leitura do livro que inspirou
a este, e aos livros que inspiram tantos outros filmes que vemos
mundo a fora nos cinemas brasileiros e estrangeiros.
Devem ser uma maravilha!

Ver um filme, ir ao cinema ou em casa mesmo, tem toda uma
magia e truques cinematográficos que nos prendem. Vem tudo
mastigadinho, sem exigir muito do nosso esforço físico e mental
e faz bem.

Mas como uma boa leitura, acredito que não.

Na leitura nos tornamos diretores da história que lemos.
Criamos personagens.
Criamos espaços e lugares.
Criamos a trilha sonora.
Criamos luzes e sombras.
Criamos figurinos e meios de transporte.
Criamos mundos e mundos.
E assistimos de camarote em várias dimensões e possibilidades.

Ler trás mil e uma possibilidades.
Enriquece a alma, olhos, coração e mente de quem lê.
Sem falar que estimula a aprendizagem, novos conhecimentos,
possibilidades de enriquecimento de vocabulário (escrita e oralidade),
e trazendo benefícios ao intelecto, estimulando os neurônios e
outras ligações mentais que nos enriquece em nossas próprias
experiências e viveres humanos.

Ler faz bem, e ver um filme também, que mal tem?
Que tal os dois.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário