sexta-feira, 11 de abril de 2014

Vida, brinquedo de brincar


O que me resta na vida a não ser tentar ser feliz.
São tentativas bem sucedidas, de fins e recomeços.

São alegrias, são tropeços.
Mas sempre sigo em frente.

Tem horas que apanho da vida.
Mas a surra me ensina, me faz melhor.

E nos embates da vida vou seguindo,
sorrindo, cantando, às vezes em lágrimas,
chorando.

Mas o destino é certo, tenho fé.
De chegar ao pés do Homem de Nazaré,
e poder em teus braços descansar em paz.

A luta não é falha, nos eleva, não é fogo
de palha...

A evolução é certa.
A felicidade exata.
E a vida mesmo sendo ingrata, nós leva ao céu.

E o que nos resta na vida a não ser tentar ser feliz?

São tentativas, são ensaios, são sonhos, são valsa.
E uma hora a gente passa a sorrir até mesmo do
que nos fez chorar.

A vida é como um brinquedo de brincar.
Vem e passa, mas as lembranças permanecem
para sempre a encantar.

É na vida, nestas experiências de brincar,
entre erros e acertos que encontramos o
equilíbrio que passa pelo amar.

E no amar, encontra-se o ingrediente que muitos
buscam que se traduz em felicidade.

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário