quarta-feira, 30 de abril de 2014

Linda, felina, tenaz, mulher


Ser mulher não é coisa assim tão fácil.
Ser mulher é cousa que levou séculos,
atravessou milênios e culturas.

Ser mulher não é coisa assim tão fácil.
É ir além das simples aparências.
É ir além de um simples e vago olhar
machista e anti-humano.

Antes considerada desalmada.
Servidão do lar, marido e filhos.
Antes não podia palpitar.
Antes desprovida de desejos,
abandona sem prazeres, somente
a dar prazer.

Vista como futilidade, boneca de inflar.
Se apercebeu humana, na arte de se amar.
Travou lutas imperceptíveis, que se graduaram
e agora vão tomando o seu lugar.

Foram guerras, foram mortes, mas enfim
encontraram o norte na arte de se humanizar,
e no humano encontram forças, para
o que alcançaram possam melhorar, ampliar
e por consequência eternizar...

Mulher "sexo frágil", força maior não há,
dela surge a vida, seu ventre não escolhe,
acolhe seja quem for, não olha órgãos genitais,
apenas ama o humano que se desenvolve
em seu ventre, e assim deseja ser amada,
respeitada em seu imenso valor, que no ardor
feminino,
felino,
mansa,
bravia,
feroz,
atroz,
tenaz...

Mulher se faz, tendo humano em sua essência,
sem malquerenças, desafetos, tem direitos
não superiores, mais em equidade com os demais,
homens, que nada são também que seres humanos.

Ambos na busca da vida plena e digna em humanidade,
nos respeito e no amor, merecem só felicidades.

Parabéns Mulher!

By Adalmir Oliveira Campos
adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário