terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Calorume, minha inspiração


Que calor é esse Deus do céu?
Até parece que São Pedro nos abandonou...
A chuva é escassa e quando vem só apaga
a poeira e do asfalto sai fumaça.

O que fazer se este calor invade até as praças!
Para onde correr?
O sorvete já não refresca, já chega quente na garganta.

E para esse calor o que é que adianta?
Já é coisa de anta acreditar nas previsões do tempo.
Que esqueceram que está tão quente que nem tem mais vento.

Ventiladores circulam o ar que se mantém quente, seca a garganta
da gente, trinca os lábios que é um horror...
Pena que ar condicionado é só pro doutor.

A gente deita e só sua, transpira e empola,
 rola na cama e nem dorme e nem sonha.
Ainda para piorar nos aparece as muriçocas
num zum zum que só elas sabem fazer.

E o calor está tanto que virou minha inspiração.
Antes quem falava de amor, sentimento e emoções,
derrete na esperança de futuras soluções.

Pois se assim continuar, não se sabe onde o mundo vai parar,
e os coitados dos seres vivos, será que vão fritar?

Que cada um plante uma árvore no quintal,
que regue com zelo sem igual.
Cuide do meio ambiente, seja crente cheio de fé.
Que se assim todo mundo for e fizer, as coisas poderão melhorar.

Aí com certeza, então, minhas inspirações serão
somente sobre amar.

By Adalmir Oliveira Campos






Nenhum comentário:

Postar um comentário