sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Em busca de Sentidos




Sonhos ilusões.
Pesadelos, confusões.

Sou eu assim sem você.

Minha realidade fica inerte,
sem cor, tipo viver em
preto e branco.

Feito malandro investigo,
instigo e busco você.
Viro detetive à procura de pistas
que me levem a você.

E você não vem.
E você não me aparece.
E isso me entristece.
Pois viver, é ter você.

Sonhos, ilusões.
Pesadelos, confusões.
Tudo isso tem sido minha sina,
sem você minha querida.

Nada me alegra as vistas
já cansadas.
Nada aguça o paladar.
Nem há sons que agradem meus ouvidos.
Menos cheiros interferem no meu olfato.
Meu tato ainda tem memórias de você.

São sentidos inertes.
São sentidos adormecidos.
São sentidos sem sentido.
Que buscam seus sentidos.

A vida segue assim em sonhos e ilusões.
Pesadelos e confusões.
Tudo, por que, me falta você meu amor.

By Adalmir Oliveira Campos

adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário