terça-feira, 7 de janeiro de 2014

E o poeta... Ah o poeta


Eita poesia que flui neste mar de viveres.
Poesia que se mistura aos dizeres de um povo...
De um ser, 
De uma humanidade inteira.

Retrata amor, retrata a dor...
E assim retrata a vida e faz histórias.

Poesia que liberta mentes aflitas,
Almas que penam.
Homens e mulheres que sonham, que
choram e sorriem.

Poesia e poetas se completam,
se complementam como peças
de encaixe coloridas de brincar
infantil.

E assim correm rios de palavras...
E assim correm rios de emoções.
E o poeta...
Ah o poeta,
Este nunca se cala.
Solta a caneta e alonga o rio em mar, e
de mar a oceanos.

E faz história de histórias
que permanecem na memória
e assim constrói e reconstrói
esse povo, essa gente,
esses humanos crentes e descrentes
que buscam em Deus ao aprenderem
a viver em humanidade.

Poeta e poesia são, com rimas ou
sem rimas, mel a adoçar a vida,
num jardim que se rega à base
do amor, em canções de ninar,
num viver que caminha
para a harmonia.

E assim segue o poeta e a poesia...
Um a fazer o outro.

By Adalmir Oliveira Campos

adalmir-campos.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário